Reformando a minha casa



Que caminho eu devo tomar? São muitas decisões e microdecisões em uma obra e na reforma.

Vamos fazer um exercício como será sua cozinha? Quais eletrodomésticos você quer? Quais as cores? E revestimentos que gosta? Quando precisa comprar os revestimentos e quando contratar o pintor? Quanto custo tudo isso? E quando tempo vai levar? Muitas pessoas não sabem como respondem essas perguntas e deixam de lado o planejamento de lado. Aquela história quando não sabe onde vai, qualquer caminho serve.

Então vamos começar a organizar isso:

  1. Na hora da compra do imóvel

Pergunte do que foi construído o prédio, cada modo irá interferir na planta final da sua casa:

Alvenaria estrutural: Nada poderá sair do lugar, as paredes são a estrutura do apartamento. Caso for casa individual, podemos tirar paredes reforçando a estrutura com vigas e pilares, fizemos isso no Projeto CJM, caso queira ver um caso!

Alvenaria Convencional: Essa construção é feita por pilares e vigas, então as possibilidades de mudança aumentam e com um custo menor, já que não precisa reforçar a estrutura, tanto em apartamento como em prédios.

Esses dois são os mais comuns no mercado, depois podemos falar de outros sistemas, mas vamos para a próxima dica.

 

 

Planejamento

Conte com o auxilio de um arquiteto, ele te guiará nas perguntas mais fáceis até as mais difíceis e você pode “quebrar” todas as paredes através de softwares e entender por imagens como ficaria e o custo está em projeto e não na obra em materiais, o risco é mais controlado e leva a um resultado melhor.

É a mesma coisa de quando você começa a investir dinheiro, planejamento financeiro deixa tudo mais claro e quais os próximos passos e alinhar o projeto físico ao projeto financeiro só tente a te trazer benefícios

Ah, e escolha bem o arquiteto vocês iram passar muito tempo trabalhando juntos! Pensando em uma obra de 100m²: Em média 2 meses de projeto + 4 meses de obra... Meio ano junto!

 

Execução

Com imóvel comprado, projeto (arquitetura e financeiro) em mãos, é hora de começar a quebrar e comprar os itens indicados conforme o cronograma da obra.

Assim como o arquiteto a escolha da mão de obra é importante, são eles que irão concretizar todos os passos do projeto, o acompanhamento do arquiteto é importante para todo o entendimento ser claro no canteiro de obra. Existem vários modelos de contratação:

Construtoras: empresas que executam esse trabalho, normalmente com valores mais altos, mas com mais garantias de prazo e financeiro.

Empreiteiros: São autônomos que contratam a mão de obra final e tem um contrato acordado previamente e são os mestres de obra no canteiro.

Mão de obra direta: Fechamento direto com cada função como pedreiro, gesseiro e pintor, deixando o valor variável, sem garantias de prazos.

 

Produção

Não menospreze o poder de uma plantinha aqui e outra ali, livros, tapetes e quadros pendurados. Toda casa é feita de memórias e são elas que darão a alma para o lugar, então essa finalização de produção vai deixar a casa com cara de viva e cheia de afeto!

Sabe o planejamento financeiro? Reserve (de verdade) uma parte para essa etapa!