A era dos dados na arquitetura



Projeto do 2D ao 5D


Quem nunca ouviu falar que a coisa mais importante da nossa geração são os dados? Os dados são fontes importantes na nossa era e na arquitetura não seria diferente, precisamos saber todos os dados do edifício de maneira precisa para evitar erros de quantitativo e qualitativo na hora de construir. Existe um sistema chamado BIM (Building Information Model), em tradução livre é a modelagem da informação da construção.
Aqui no escritório adotamos esse sistema, mas por que eu quero contar isso aqui para você? São as vantagens para os clientes que me chama atenção e vou explicar um pouco sobre isso.

Projetos 2D e 3D em todas as etapas


Todas as etapas de projeto são vistas em 2D (plantas e cortes) como em 3D, então mesmo que você não tenha – não precisa ter – conhecimento em leitura de planta, você terá sempre o modelo 3D para entender o andamento do projeto.

 

Planejar custos e quantidade 4D


Quantitativo: Todo planejamento da obra começa aqui, as informações de quantitativo são mais precisas. Um exemplo é: Imagina uma trena manual, você tem a informação ali, mas com a trena digital você tem a medida exata. Essa é a diferença do modo de trabalhar, chamado de planejamento 4D.
 
Orçamento: Previsibilidade do orçamento em etapas de projeto. Já que todo o quantitativo está claro, os orçamentos podem ser retirados para já deixar alinhado no começo e não ser uma surpresa desagradável no final. Do que adianta um projeto que você ame mas não poderá ter? Esse alinhamento é importante para isso.

 

Organização da obra e fornecedores - 5D


Organização da obra: Com todas essas informações a obra, chamamos de 5D, onde o transporte, logística da obra é pensado para evitar erros posteriores.
 
Então esse jeito de trabalhar minimiza os erros, o tempo e consequentemente reduz o custo geral para você! Além de deixar todas as variáveis tangíveis e intangíveis sob controle.